Compartilhe essa dica:

10/11/2013

Aprendendo a mastigar

Alessandra Marin Russo, mãe de uma amiguinha do meu filho, é fonoaudióloga e me enviou um artigo escrito por ela sobre mastigação de bebês e crianças. Achei tão interessante que aqui compartilho o texto com vocês.

“O bebê precisa amamentar e sugar para um bom desenvolvimento de suas estruturas orais (arcada dentária, lábios, bochechas e língua) e a partir de 6 meses deve começar a mastigar para continuar este desenvolvimento e amadurecimento.

A mastigação é uma função importantíssima pois fortalece todas estas estruturas, trazendo benefícios para os dentes, assim como também à articulação dos sons da fala. Mas nos dias atuais, com a alimentação de fast-food e de itens como o famoso “danoninho que vale por um bifinho”, muitas crianças não mastigam de forma correta e constante. Dessa forma, elas têm grande possibilidade de apresentar problemas de fala, já que com o pouco fortalecimento dos músculos faciais a articulação torna-se imprecisa e até mesmo pouco compreensível pelos outros.

Oferecer alimentos variados e, principalmente, mais consistentes e fibrosos (pão francês, frutas com casca, verduras e legumes crus, carne cortada em pequenos pedaços, etc) a partir de 1 ano de idade é uma boa dica. Outra sugestão: não se deixe levar pela facilidade oferecendo uma mamadeira quando a criança não comer bem durante o dia. E também não deixe-se seduzir pelo uso do tablet ou do celular durante a refeição, onde a criança não está atenta nem ao que come e nem como está comendo.

Dê bons exemplos: coloque o seu filho para participar desde pequeno das refeições com toda a família. É uma maneira de colaborar para que ele aprenda a experimentar e a comer os mais variados tipos de alimentos, e ainda a observar a forma como seus pais mastigam.

Mas se o seu filho continuar com dificuldade para comer alimentos mais duros, mastigando muito devagar ou rápido demais, engolindo pedaços inteiros ou mastigando de boca sempre aberta, projetando a língua ao engolir, vale procurar a ajuda de um fonoaudiólogo, um profissional especializado neste assunto. Ele pode orientá-lo, esclarecer dúvidas e intervir quando necessário”.

Por Alessandra Marin Russo
Fonoaudióloga/Crfa 5806

alessandramarinrusso@hotmail.com
Av. Pavão, 955 – cj 136, São Paulo.
tel. (11) 5536 5167
foto: ArloMagicMan via photopin cc

Compartilhe essa dica:

Deixe um comentário

Receba nossas dicas por e-mail